8 Comentários

Olá, Marco. Como manter o português do Brasil próximo do português de Portugal, se boa parte dos portugueses insiste em dizer que falamos brasileiro, sendo assim xenófobos do ponto de vista linguístico, como já apontou o próprio Marcos Bagno? Ilusofonia :)

Expand full comment
author

Olá! :) Ainda há poucos dias comentava com a Zélia que só os portugueses dizem "brasileiro". Nem Marcos Bagno, que defende que já existe uma separação real, chama à sua língua "brasileiro". Por isso, sim, concordo consigo, embora esteja convencido de que não se trata de xenofobia em muitos casos, apenas dificuldade em lidar com a variação linguística em geral (mas não tenho grandes certezas).

Expand full comment

Pois é, ao distinguir, os próprios portugueses já começaram a separação. Me custa a acreditar que seja dificuldade em lidar, sobretudo por consumirem tanto a cultura brasileira (o contrário infelizmente não acontece tanto). Em muitos casos, sequer existe a compreensão do que é variante linguística. A língua segue sendo instrumento de poder nessa relação. Nesse sentido e como imigrante brasileira em Portugal há cinco anos, reforço o caráter da xenofobia, acredito menos na lusofonia (com muitíssimo pesar) e torço para uma apropriação em torno da língua brasileira, conforme o título do livro do Sérgio Rodrigues.

Expand full comment
author

Lamento muito a experiência que me relata! Entretanto, podemos ir conversando, apesar de todos estes problemas.

Expand full comment

Obrigada pela abertura. As melhoras para a Zélia!

Expand full comment
Nov 17, 2023·editado Nov 17, 2023Gostado por Marco Neves

Provavelmente, daqui a muitos anos (ou não), as línguas vão divergir. E não haverá qualquer mal, o próprio português já é latim em pó, como cantou Caetano. Tenho muita curiosidade para saber se a língua do Brasil iria incorporar os elementos das línguas gerais extintas a partir do século XVIII...

Gosto da expressão terraplanismo linguístico, foi muito bem achada!

Expand full comment
author

Obrigado! O processo de divergência já está em andamento, mas penso que será lento (e até pode acontecer que volte a haver uma aproximação se houver mais contactos). Afinal, mesmo em relação ao galego, depois de tantos séculos, ainda encontramos tanta coisa comum. Agora, a verdade é que continuaremos a conseguir ler-nos uns aos outros por muito tempo — é pena não aproveitarmos mais.

Expand full comment

Sou testemunha desse embate entre a “norma culta “ e a “norma popular “ por aqui . O que vai prevalecer ? O futuro é difícil de prever , mas segundo o linguista norte-americano Steven Roger Fisher daqui a 300 anos o português no Brasil desaparecerá dando lugar a uma espécie de papiamento, resultado da mistura de português , espanhol latino-americano e inglês enquanto o português europeu ficará restrito a poucos falantes e isolado. Observo os jovens aqui falando ou escrevendo já numa espécie de papiamento, por exemplo : “ Vou deletar aquilo que meu dating ( namorado) escreveu “. Eu acredito nessa transformação . Na verdade , o rumo da língua ( evolução , transformação , desaparecimento) será decidido por vários fatores : os jovens , a linguagem na Internet, a força cultural de alguma potência ( hoje Estados Unidos), o empenho dos professores . Mas quem pode prever ?

Expand full comment