7 Comentários
Mai 24·editado Mai 24

Não é propriamente um género literário, mas ganhava-se bastante se desaparecessem* os livros em que o título e o nome do autor vêm "ao contrário" na lombada. Por "ao contrário" quero eu dizer que vêm escritos de baixo para cima, e não de cima para baixo, se o livro estiver na vertical, ou seja, da direita para a esquerda se o livro estiver deitado de capa para cima, numa pilha de livros, por exemplo, e não da esquerda para a direita (comentário não válido para livros em árabe ou hebraico, onde creio que será exactamente o oposto). * Falo de fazer desaparecer as edições com este arranjo gráfico infeliz, e não os livros em si. Acabo de reparar que a única edição do único livro que publiquei é, desgraçadamente, dessas, mas nem assim vou apagar o comentário, porque é muito aborrecido, quando se percorrem as estantes de uma livraria ou bliblioteca, estar sempre a inclinar a cabeça para um lado e para o outro como se fôssemos uma catatua particularmente desconfiada.

Expand full comment

Livros de auto-ajuda. Muitos são lixo

Expand full comment

Eu, sen dúbida, eliminaría a novela romántica dirixida ás mulleres. Non as aturo e, para min, son un fatal referente para a igualdade de xénero.

Expand full comment

O ideal era que as mulheres deixassem de os comprar...

Expand full comment

Respondo com um imenso atraso, mas a intenção é boa. Deitar fora todo um género literário parece-me injusto. Quero acreditar que em todos os géneros existe o bom e o mau. E que todos têm o seu lugar e razão de ser. Tal como é democrático existir música clássica, jazz, erudita, funk, pop, rap, rock

popular, world music etc... até à coisa mais pimba. Haja diversidade! O que me importa é haver sempre bons livros para ler, boa música para ouvir e que cada um possa fazer as suas escolhas e o seu caminho. Se um mau livro fizer bem a alguém já foi útil. Será talvez uma resposta politicamente correcta, mas sincera.

Expand full comment

Há livros que fazem mal sim, se os leitores não tiverem espírito crítico. Mas não podemos bani-los, para isso estão aí aos ayatollas desta vida.

Gosta da ideia da colecção de livros sobre a língua, é um tema fascinante. Adorei Latim em Pó, que descobri através do Marco, e uso muito o Atlas da Escrita.

Expand full comment

Sobre a língua portuguesa, há "Educação lingüística", de minha autoria : destina-se a educar o leitor e o escritor para evitar estrangeirismos e vícios de linguagem; valoriza a forma culta do português em cerca de 40 artigos a respeito dela, além de conter artigos e estudos que formam o usuário do português. Está publicado em PDF, grátis, com acesso pelo Google.

Expand full comment